[37/365] Quintana

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

"Não, o melhor é não falares, não explicares coisa alguma. Tudo agora está suspenso. Nada aguenta mais nada. E sabe Deus o que é que desencadeia as catástrofes, o que é que derruba um castelo de cartas! Não se sabe… Umas vezes passa uma avalanche e não morre uma mosca… Outras vezes senta uma mosca e desaba uma cidade."

Mario Quintana em "Sapato florido"




Uma conversa ao pé do ouvido, um café e você...

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Leia ao som de Me espera, Sandy & Tiago Iorc


Vamos conversar um pouco? Sem pressa, sem medo, só eu e você...

Será que já falei o quanto suas mensagens me desejando bom dia fazem dele realmente dias bons? Contei o quanto as músicas que me manda me fazem imaginar nossos corpos dançando no mesmo ritmo? 

É, talvez eu seja bastante repetitivo, mas é inevitável. Tudo relacionado a você e a quem se tornou em meu mundo, são os meus assuntos prediletos. Eu queria ver seu sorriso no noticiário, ver a alegria nos seus olhos estampando uma manchete de primeira página, descobrir que seu perfume atravessou a cidade, levando poesia a todos os corações amargurados. Ah, se as pessoas enxergassem como é feliz todo aquele que atravessa seu caminho, que é envolvido em seu abraço... É o instante em que a sua alma toca a do outro, e a gente se dá conta que ainda existe pureza neste mundo. 

Sua alma, ainda que tenha sido ferida e machucada, não é amargurada. Seus olhos, apesar de nada inocentes, não causam dúvidas. A sua voz e os seus passos mostram que você se tornou dona da própria história, e não há nada que seduza mais do que isso. Enlouqueço com som da sua voz. Adoro os áudios que me manda, e até peço desculpas por sempre demorar a lhe responder. Não é charme, nem preguiça, mas é que eu me perco repetindo cada um deles, só para te ouvir um pouco mais. Amo quando me liga ainda na cama, me dizendo que sonhou comigo ou que está sentindo falta do meu café. Fico lembrando do seu perfume no travesseiro, das pernas em cima de mim e de como acorda sempre bem-humorada, principalmente nos dias de sol. Adoro as marcas que ele deixa em sua pele, e a felicidade maliciosa em me mostrar cada uma delas. É a senha para que eu possa me perder mais uma vez em alguns dos detalhes que te fazem única: sua cor dourada, seu gosto de tangerina, a firmeza de suas mãos cravadas em minhas costas... Nesses instantes de perdição encontro razão para continuar vivendo, inspiração para enfrentar as segundas tediosas. 

Você foi a chuva de verão que chegou imprevisível: quente, deliciosamente caótica, e mudou de vez a minha vida. Arrastou a rotina para longe dos meus dias, me mostrou horizontes através dos seus olhos. Fez de mim um homem apaixonado, que ri idiotamente com alguma mensagem sua e que fica preocupado quando seu mundo estremece. Me encantei de tal forma com as preciosidades que carrega, que pinto quadros e imagino porta-retratos de uma família feliz. Eu sonhei um dia com uma felicidade bem diferente, e hoje vejo que meus conceitos eram todos vazios, até que encontrei você. Foi na simplicidade do seu sorriso e nas linhas do seu português bem escrito que perdi a necessidade de correr. Foi no momento em que senti a batida do seu coração aninhado em meu peito que encontrei a paz para minha alma. Uma paz que não sabia que existia e que agora não abro mão de sentir.


____________________________
Texto escrito para o blog AhNaPaula


31 perguntas para quebrar um silêncio constrangedor

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016




Como ignorar um meme intitulado 31 perguntas para quebrar um silêncio constrangedor? Impossível! Nada mais adequado para o momento atual deste blog...

Peguei as perguntas no blog da Clarissa, o A Life less odinary.

Vamos lá:

1. Você gosta de coentro ou acha que tem gosto de sabonete?
Não gosto e não acho que tenha gosto de sabonete.
2. O que você acha de áudios do WhatsApp?
Acho prático e evita dor de cabeça – a entonação já fica clara.
3. Você também comia o chocolate da Turma da Mônica pelas bordinhas?
Não, mas as Tortuguitas...
4. Qual é a melhor consoante do alfabeto?
M
5. Qual é a primeira rede social que você vê de manhã?
Instagran
6. Você acha que existe alguma bala melhor que 7 Belo?
Sim, a de iogurte.
7. Que cor você acha menos confiável?
Fúcsia. Como confiar em uma cor com esse nome?
8. Qual foi o último filme que você viu e odiou?
Loucas para casar.
9. Qual animal parece mais simpático, um pato ou um golfinho?
Golfinho.
10. Toddy ou Nescau?
Toddy.
11. Você acha que bebês conversam uns com os outros?
Sim.
12. Sabia que todo mundo é feito de poeira de estrelas?
Li nO Mundo de Sofia, mas discordo.
13. Ouro Branco ou Sonho de Valsa?
Ouro branco.
14. Qual era seu desenho favorito na infância?
She-Ra.
15. Que série você jamais reveria?
Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira.
16. Qual personagem do Harry Potter você menos gosta?
Não sou capaz de opinar.
17. Qual é sua opinião sobre barrinhas de cereal?
Elas se acham demais. Iludidas!
18. Com quem você dividiria um Bis?
Com ninguém.
19. O que você faria se achasse R$ 50 na rua?
Cantaria a música da Naiara Azevedo (já estou cantando agora,rs.)
20. Quanto tempo uma comida precisa estar na geladeira para você considerar ela velha?
Depende do meu nível de desespero.
21. Qual é seu número preferido?
17
22. Qual é o aplicativo mais inútil do seu celular?
Hangout
23. Quem você tiraria do elenco de “Friends” se fosse obrigado?
A irmã da Phebe.
24. Você é contra ou a favor de comer macarrão com arroz?
Uma pessoa que come lasanha com feijão não pode ser contra comer macarrão com arroz.
25. Qual foi a última vez que você precisou usar a Fórmula de Bhaskara?
No ensino médio.
26. Você acha que dá para morrer de overdose de rúcula?
Quem faria isso?
27. Quanto tempo você levou para entender como funciona o Snapchat?
Não entendi até hoje e não vejo motivos para continuar tentando.
28. Qual é sua opção favorita no restaurante por quilo?
Batata frita.
29. Você gosta de “Sorry” do Justin Bieber?
Não, mas cantarolo.
30. Você prefere passar muito frio ou muito calor?
Frio. Odeio calor.
31. Você está dormindo e sobe uma barata na sua cara. Você prefere continuar dormindo e nunca saber ou acordar e fazer alguma coisa?
Continuar dormindo, sempre.


O amor convém

quinta-feira, 10 de novembro de 2016



Enquanto você dorme em meus braços, fico repassando os últimos dias. O pensamento vai longe, tentando me lembrar de quando nos apaixonamos antes mesmo de nos conhecermos de verdade. Quando nos beijamos, percebi que seria seu para todo o sempre. 
Conheço você de olhos fechados e não há nada que não ame ou não admire.  Amo cada centímetro seu: pintas, sardas, a curva do seu sorriso e a maciez das suas mãos; a forma como presta atenção em mim, como me faz rir e até sua irritação; seu cabelo solto, seu olhos brilhantes, sua maneira de "conversar" com cachorros. Amo quando me leva para algum lugar incomum, quando fala das coisas que acredita e o fato de ser tão apaixonada pela vida. Amo quando inventa motivos para ficarmos juntos, apesar da rotina; seu jeito de olhar a chuva e admirar a lua. 
Você, sempre tão forte, tão intensa, dorme calmamente em meus braços. Por favor, não levante ainda, quero te olhar um pouco mais. Pode deixar, protegerei seu sono, lutarei pelos seus sonhos, mas quero apenas agradecer ao Pai por ter me dado você, por ter sido o seu “sim”...


Ainda lembro da gente

sexta-feira, 4 de novembro de 2016


Ao som de Costumes, Paula Fernandes





Preciso confessar que ainda lembro da gente. Coleciono perguntas não respondidas sobre o que fazer com o que sobrou de nós. O que devo fazer com as músicas que fizeram parte da nossa história? Nunca tivemos uma música apenas. Tínhamos uma playlist que descrevia nossos instantes. Será que terei que mudar meu gosto musical para não correr o risco de, acidentalmente, ouvir sobre nós através de uma canção? Como apagar da memória o som da sua voz? Por vezes você sussurrou meu nome, me fez sonhar e deu vida a palavras tão doces e marcantes. Como apagar isso? Ainda lembro do som da sua gargalhada e de como eu vibrava quando era o motivo dela. Qual é a fórmula para esquecer dos seus braços me envolvendo e prendendo junto a você?  Como faço para esquecer seu olhar antes de cada beijo, a mão deslizando pela minha nuca e o registro dela em minha pele? Sinto falta do que tivemos, mas principalmente do seu cheiro e da sensação de estar em seus braços, de me perder em nossas loucuras. Sei que você também lembra de nós, talvez até sinta saudades de como éramos felizes e inconsequentes quando estávamos juntos, mas somos orgulhosos demais para ignorar tudo o que nos afastou. Esta saudade recorrente, agravada pela chuva nas janelas, vai continuar com a gente, em silêncio. Não fomos feitos para ficar juntos, apesar de toda afinidade, de todos os momentos em que perdemos a cabeça ... Torço para que que o destino, por ironia ou maldade, jamais nos coloque na mesma calçada. Tenho certeza que seríamos gentis, polidamente educados, mas seria extremamente difícil disfarçar a falta que sinto do seu sorriso colado ao meu. 
Eu pensei que já nem me lembrasse de coisas passadas ...  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Passado construído

Marcadores

Visualizações

Topo