Sobre dificuldades e provações

sábado, 30 de julho de 2016

“Eu digo isso para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz. No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo.” João 16:33 NTLH


É inútil tentar entender o motivo de certas provações. Dores, perdas, desilusões, “nãos”, portas que não se abrem, doenças, mudanças que nunca acontecem. Não preciso entender, preciso suportar, avançar, ir além do que meus olhos podem vislumbrar. Tenho que confiar que o propósito maior existe, e que talvez eu jamais saiba qual é, mas aquele que me criou, me forja no fogo, na provação, me aprova quando eu resisto e não quando eu desisto. Fácil? Nunca foi e nunca será, aliás, não creio num evangelho de facilidades. O Cristo que conheço jamais pregou isso, pelo contrário, me alertou que eu teria aflições, pediu apenas que eu tivesse bom ânimo para passar por isso tudo.

Vem cá, vamos conversar?

sábado, 8 de agosto de 2015


Pois é, eu já sei que não somos tão próximas quanto antes, mas ainda a amo com a mesma verdade que antes. Uma vez cativada, você vai precisar muito mais do que alguns berros e telefonemas malcriados para me afastar. Acho que está na hora de você prestar atenção no que tenho a dizer. Pode me odiar depois. Por hora, apenas leia. Pense e me odeie depois.

Sua vida estava uma grande trapalhada quando esse cara apareceu. Parecia ser o cavalheiro que salvou Teresinha de Jesus. Divertido, inteligente, com pegada e você já acha que “agora vai”. Aposta todas as fichas que tem. Compra mais fichas. Continua apostando. Insiste em tentar. Vai acreditando que está tudo ótimo. E está. Está? Intransigente, grosseiro, te trata mal na frente das pessoas e você vai arrumando desculpas para o comportamento hostil dele. Mas você continua. Vai afastando todos que a amam e se aproximando cada vez do mundinho dele. Ele a fez acreditar que é menos do que é. Mentiras e mais mentiras foram ditas. Você fez delas suas verdades. Esse aí que você diz que te ama, não ama ninguém. É dominado pelo ego. E você alimentou direitinho o ego dele quando disse que não iria embora, que nada no mundo era mais importante que ele (mesmo depois dele afastá-la de tudo e todos; ou depois das consecutivas explosões de ira; ou dos surtos de ciúme e agressividade). Lembra quando eu lhe disse que ele não a respeitava? Você me disse que eu estava amarga demais, desacreditada nos homens. Ah querida, eu só queria lhe mostrar que se um homem não respeita quem você é, seu modo de ver a vida e de sonhar com o amanhã, esse homem não a merece. Você tinha o sorriso tão bonito... Durante tanto tempo você me inspirou, hoje você me preocupa. Eu sei que você ainda lê meu blog, mesmo que não converse comigo. Entenda que nunca quis seu mal. Insisto em dizer que existe uma vida lá fora. Não vai ser fácil. Não mesmo. Mas quando é que a vida é fácil? Nem quando você era criança ela sorriu pra você. Seja mais forte. Encare. Tenha coragem. Você é tão mais que isso...

Eu estou aqui, sempre estive. Enfrentaria o universo por você. A ligação que temos é forte demais para que eu veja suas escolhas e não diga nada. Você merece mais do que migalhas, humilhações e meias verdades. Você merece ser feliz de verdade!

Sobre amigos, questionamentos e opiniões

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Ainda inspirada pelo encontro maravilhoso de ontem, resolvi escrever. Uma reunião divertida entre amigos de longa data, pessoas tão diferentes, com rotinas absolutamente opostas, mas que se gostam demais. Gente que pensa igual, pensa diferente, gente que pensa!

Certa vez me disseram que sem rebeldes e contestadores, o mundo não evolui. Naquela sala estavam reunidos alguns rebeldes, questionadores e contestadores por natureza. Mais do que construir aquilo que podemos vir a ser, saímos da inércia do que éramos. Por mais irônicos, debochados, divertidos que sejamos, temos a consciência de que estamos em constante processo de mudança. Faz parte da natureza humana. Somos impelidos à mudança, por isso nascemos, crescemos, envelhecemos... Em meio a esse processo de mutação, a gente se questiona, avalia velhos conceitos, aprende a indagar e não aceita um “melhor não falar sobre isso” como resposta (bem, nem todo mundo é assim, mas... Tenho fé que um dia as vacas de presépio serão extintas, hahahaha).

Por experiência própria, ser um ávido contestador pode render problemas e desafetos. Não sou o tipo de pessoa que se cala. Não sou popular, unanimidade, nem mesmo querida pela grande massa. Mas sou eu. Falo alto. Falo muito. Falo. Tenho voz. Tenho opiniões. Certas ou erradas são minhas ideias e opiniões. Ainda assim, não me fecho. Estou pronta a mudar minha forma de entender a vida, se assim for necessário. Mas não se engane - não faço média. Não puxo saco. Não consigo ser próxima a alguém, apenas para alimentar seu ego. O socialmente aceitável me dá nos nervos. O politicamente correto virou desculpa para que as pessoas usem máscaras. Mas, será que esse é de fato, o correto? Não para mim. Talvez eu nunca chegue aonde algumas pessoas chegaram, nem alcance o sucesso que alguns aspiram, mas certamente, onde quer que eu chegue, chegarei questionando, mudando, sendo honesta comigo e com aqueles que estão a minha volta.


Quanto aos meus amigos do canal Tipo Assim e outro canal de humor (ainda não tenho autorização para revelar qual), que sigamos nossos caminhos questionando/incomodando/mudando e rindo cada vez mais. A turma do não julgueis vai continuar atirando pedras, mas que de agora em diante sejam preciosas, pois eu quero ir a Paris ano que vem! 

Atitude

quarta-feira, 22 de julho de 2015


Sobre algumas situações que tenho observado e vivenciado nos últimos dias, concluo que está faltando ATITUDE. Mesmo que não seja a atitude mais correta ou que o tiro saia pela culatra, é preciso abandonar a inércia. O mundo precisa de pessoas que tenham coragem de agir, de ter opinião e de se posicionar. Sem essa de ir com a maré! Pense e pague o preço de ser pensante. Quem quer chegar a algum lugar na vida, tem que ser ousado, ter argumento, questionar, dar a cara pra bater ...


Sobre a vontade de desistir de tudo...

quarta-feira, 8 de julho de 2015

"E se eu te dissesse que a vontade que dá, às vezes, é de desistir de tudo. Desistir, assim, de nada, de tudo. Pra ser sincero, às vezes, tudo que eu queria, é que a minha vida fosse só um pouquinho parecida com aquele punhado de sonhos que eu tenho guardados no bolso. Queria mesmo, que esse dormir e acordar todo santo dia, não me custasse tantas horas em claro. Queria poder deitar e dormir com a cabeça tranquila, o tal sono dos justos, queria não precisar ficar virando na cama sem saber o que fazer, o que pensar, como fazer, como pensar.
Queria conseguir ser feliz, sabe? Aquele feliz batalhado, aquele feliz cansado mesmo, aquele feliz que você dorme sorrindo, porque o sono foi mais rápido que a força de fechar os lábios. O problema de toda minha vida, é que as partes boas só ficam boas, quando já passaram. Meu presente sempre precisa vir marcado de ponderações.
A impressão que eu tenho, às vezes, é que minha vida, meus problemas, meus dramas diários, são como a areia de uma ampulheta. Aqueles grãozinhos que suavemente vão se depositando sobre a minha cabeça, pesando sobre as minhas costas, me fazendo curvar vertiginosamente rumo ao chão.
A vontade que dá, é de desistir e não mais de só dormir, como antes, até porque nem Morfeu, ou o sono, querem mais a minha companhia. O problema dos dias de cão, é o peso que eles depositam em meus ombros. O problema dos dias difíceis, é o grito que fica preso da garganta e vira nó. O problema dos pés cansados, é que nenhuma noite de sono é tranquila.
É extremamente complicado acreditar que amanhã tudo vai mudar, ou que todo esse vendaval, dependa só de mim para cessar. A verdade é que a gente vive diariamente em busca de um milagre. Um milagre que assim, como um prêmio na loteria, tire dos nossos ombros, todos os pesos, que nem nos nossos piores pesadelos, a gente gostaria de ter." 


__________________
Texto do Matheus Rocha


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Passado construído

Marcadores

Visualizações

Topo